Visitando a Muralha da China!

Lá nos idos 215 a.C., o imperador Qin Shihuang deu a ordem: que comece a construção de uma grande muralha para a proteção da região! Afinal, ninguém queria a invasão dos nômades que vinham do norte. Contudo, essa não tinha sido a primeira ordem de construção e muitos muros foram erguidos em função do medo de invasão. Então, quando os sete reinos foram unificados em um país, o imperador decidiu que os muros fossem também unificados através de ligações. As obras e reformas finalmente pararam com a ordem do imperador Kangxi, em 1677.

Como foi feito?

Não há muito de diferente neste quesito. A Muralha da China foi feita basicamente de tijolos de barro, porém eram bem resistentes, e não possui uniformidade. Pelo meio do caminho é possível encontrar torres de vigilância, portas e fortes. Tudo isso para abrigar militares e também para servir de depósito de mantimentos.

A maior obra para a maior muralha do mundo

Em 2009 verificou-se que a Muralha da China possui nada menos que oito mil quilômetros e uns quebrados (8 850 quilômetros, para sermos exatos), que levou 20 séculos para ser finalizada. Neste processo, conta-se que muitos operários morreram principalmente por causa da má alimentação e do frio. Estima-se que a maior parte destes operários eram camponeses que, em troca do trabalho, não precisavam pagar impostos ao governo.

A comunicação entre soldados

Como dito anteriormente, a Muralha da China foi uma construção militar com propósitos militares. Com a ausência das tecnologias de comunicação que temos hoje, a troca de “mensagens” naquela época era feita a partir de sinais de fumaça preta. Era comum o uso do esterco misturado com palha para essa função. Se não tivesse nada disso no momento, os soldados se comunicavam com a ajuda de bandeirinhas pretas ou brancas.

Dá mesmo para ver a Muralha da China da Lua?

Muita gente diz que é possível ver a Muralha da China da Lua, mas não é bem assim. Ao que parece, isso foi um boato lançado na revista The Century, lá em 1893. Acontece que o chinês Yang Liwei, em 2003, teve a oportunidade de dar um pulo no espaço e desmentiu o papo. Bem, só indo até a Lua para ter certeza. Mas uma coisa sabemos: é possível vê-la do alto do avião, um pouco antes de pousar em Pequim!

Como visitar a Muralha da China?

Saindo de Pequim não é nada difícil. Só tem um problema: o trecho mais próximo da muralha é o Badaling (foto no início do post). Por ser mais próximo, você já pode imaginar: as pessoas se concentram ali, é lotado, é programa 100% turístico.

Para chegar até lá, você tem algumas opções: 

  • através do táxi;
  • ônibus: pegue a linha 2 do metrô, desça em JiShui Tan e, depois, pegue o ônibus 919;
  • trem: pegue na estação Pequim Norte;
  • e, claro, através da excursão de sua preferência.

Para cada uma existe vantagens e desvantagens. Compare entre elas e faça a melhor escolha para seu tipo de viagem!

Existe mais um detalhe sobre Badaling

Como é o local preferido dos turistas, esta parte da muralha foi totalmente reformada para receber visitantes. Por isso, ela não é 100% original. Se você gosta de ver as coisas a partir da origem, se gosta de História ou de simplesmente sentir o local, procure algum outro trecho mais distante (e menos lotado). Uma boa opção para este caso é Mutyanu (foto abaixo)

muralha-da-china-Mitianyu

Como chegar em Mutyanu

Você pode contratar um carro com motorista para levá-lo ou ir de excursão. Essa excursão é bem menos escolhida, pois geralmente leva um dia inteiro da viagem, logo vai ser bem mais tranquilo! A outra opção, mais trabalhosa, é ir de ônibus (o 916 ou 936) a partir da estação Dongzhimen. De lá, é só ir até o Centro Internacional de Conferências de Huairou e pegar um outro ônibus até Mutianyu.

Agora vem o mais legal de tudo:

Para subir até a Muralha você tem todo o conforto de ir de teleférico e aquela coisa toda, supertranquilo e tal. Agora, para descer, existe UM TOBOGÃ! o_o Imagina descer a Muralha da China de tobogã! É praticamente um outro passeio dentro do primeiro. Se bateu um frio na barriga, relaxa. O carrinho utilizado no tobogã é todo high-tech, tem freios e tudo para que você possa descer no seu ritmo, sem preocupações. E, claro, você pode descer com o teleférico que te levou.

Importante: sempre verifique com antecedência as condições de clima e opções de transporte!

Participe do aniversário do Mundi!

 

Relacionados
Coronavírus (COVID-19) e viagens

Coronavírus (COVID-19) e viagens

Informações importantes sobre Coronavírus (COVID-19) e viagens A segurança das viagens é muito importante para nós e estamos monitorando de...
ralbino
Impacto Coronavirus: Cia aéreas, trocas e cancelamentos de voos

Impacto Coronavirus: Cia aéreas, trocas e cancelamentos de voos

Impacto do Coronavírus: o que você precisa saber sobre trocas e cancelamentos de voos * Última atualização:    Diante do...
ralbino
Informações importantes sobre Coronavírus (COVID-19) e viagens

Informações importantes sobre Coronavírus (COVID-19) e viagens

Informações importantes sobre Coronavírus (COVID-19) e viagens A segurança das viagens é muito importante para nós e estamos monitorando de...
ralbino
Dicas de Viagem Ver todos
Viajar em abril e 10 museus para conhecer

Viajar em abril e 10 museus para conhecer

Se suas férias começam no quarto mês do ano, separamos alguns destinos para conhecer em abril e garantir uma série...
ralbino
10 lugares internacionais para viajar no meio do ano

10 lugares internacionais para viajar no meio do ano

Existem dois tipos de pessoa: aqueles que gostam de viajar e aqueles que gostam de viajar – só que traduzidos...
ralbino