Dicas de Viagem

Como levar remédios em viagens nacionais e internacionais em segurança!

Os cuidados com a saúde devem permanecer mesmo quando estamos viajando. Mas, independente de estar em algum tipo de tratamento, uma farmácia é sempre importante.

Primeiro porque a última coisa que você vai querer fazer é ir em uma farmácia durante sua viagem, seja ela nacional ou não.

Mas no caso das viagens internacionais, ter que ir a uma farmácia pode ser um desafio por causa do idioma diferente.

Quem sabe falar a língua local ainda pode se virar muito bem, explicando ao farmacêutico que tipo de remédio precisa, mas quem não fala enfrenta mais essa barreira. 

Para ficar do lado seguro da força, é sempre sugerido aos viajantes que levem sua própria farmacinha dentro da mala.

O que incluir em uma farmacinha de viagem?

 

  • Uma caixinha de curativos adesivos;
  • Remédio para dores (musculares ou de cabeça);
  • Remédio para enjoo;
  • Remédio para gripe e febre;
  • Remédio para cólica;
  • Antialérgico.

Claro que tais itens dependem muito da sua necessidade. Se você está viajando para um local de mata ou para praticar esportes, por exemplo, é recomendável ainda:

  • Repelente;
  • Protetor solar;
  • Pós-sol;
  • Esparadrapo;
  • Cicatrizante;
  • E um remédio para limpar ferimentos.

Outros itens pessoais de higiene são altamente recomendáveis,  não pela dificuldade em achá-los, mas sim, pela praticidade em tê-los em mãos:

  • Escova de dente;
  • Fio dental;
  • Pasta de dente;
  • Desodorante;
  • Cremes (de cabelo, de corpo ou hidratantes);
  • Absorventes;
  • Gilete de barbear;
  • Pós-barba;
  • Preservativos.

Como levar remédios em viagens nacionais e internacionais

 

A melhor escolha, servindo tanto para viagens nacionais quanto internacionais, é levar seus remédios (e sua farmacinha particular) na bagagem de mão.

Além de estar com você o tempo todo dentro da cabine, facilitando caso necessite de algo de imediato, ainda fica mais fácil para os profissionais inspecionarem, caso seja necessário.

Para evitar problemas, sugerimos os procedimentos abaixo:

 

  • Todo medicamento pode ser inspecionado pela fiscalização sanitária do país de destino. Antes de viajar, é recomendado procurar informações sobre as políticas do local;
  • Não se esqueça de respeitar o limite de 100ml por frasco de líquido;
  • Não se esqueça que o total de frascos não pode ser maior que 1 litro;
  • Leve sempre os remédios em suas embalagens originais;
  • Tenha a receita médica que comprove que o remédio é para uso pessoal;
  • Se seu remédio for de uso controlado (tarja preta ou vermelha), esteja com a receita médica (com a especificação de uso e carimbo do médico, tudo de forma legível);
  • Se possível, peça ao seu médico uma versão em inglês da receita;
  • Se você for ficar um tempo considerável fora do país e, consequentemente, precisar de uma grande quantidade de remédios, é sugerido até mesmo uma declaração do médico, em inglês e com o carimbo do mesmo, falando sobre a necessidade de uso daquele remédio.
  • Verifique as políticas da companhia aérea responsável pelo seu voo para transporte de medicamentos

 

Uso de cilindros de oxigênio, marca-passo e medicações injetáveis, como funciona?

 

O viajante, neste caso, deve entrar em contato com a companhia aérea para que a mesma informe como proceder ou para que a mesma possa se preparar para o voo.

Geralmente é necessário que o paciente envie o formulário MEDIF ou FREMEC para a companhia aérea. A diferença básica entre os dois é:

  • O MEDIF precisa ser preenchido em todas as viagens, tanto pelo passageiro quanto pelo médico do mesmo;
  • O FREMEC pode ser preenchido pelo paciente apenas, mas tem que ter a assinatura do médico. O formulário tem a validade de um ano e só pode ser usado por quem tem o quadro de saúde estável.

As pessoas que fizeram qualquer tipo de cirurgia mais complexa (inclusive estéticas) devem entrar em contato com a companhia aérea informando sobre a situação.

A equipe médica especial da companhia irá avaliar, mediante as informações preenchidas no formulário (MEDIF), se a pessoa pode embarcar ou não.

Se você tem um marca-passo, não pode passar pelo raio-X, tendo que ser inspecionado de forma alternativa. Para isso, é importante apresentar, no check-in, o laudo médico que comprove a situação.

Sobre os medicamentos injetáveis, é importante que o viajante saiba em quais condições o medicamento pode viajar. Alguns podem ficar 24h fora da geladeira, por exemplo.

Se for necessário mantê-lo refrigerado durante o período do voo, é necessário que o passageiro entre em contato com a companhia aérea com antecedência para informar a respeito da necessidade.

Vale lembrar, ainda, que os tripulantes não têm autorização para aplicar remédios injetáveis nos passageiros. 

 

Informação importante: compartilhe o texto com pessoas que estão prestes a viajar ou com a sua companhia de viagem. Assim todo mundo fica atento sobre as necessidades e regras!

Caso tenha alguma sugestão ou queira compartilhar alguma informação conosco, use nossa caixa de comentários. Assim todo mundo poderá ler!

 

Deixar um comentário