Nosso site utiliza cookies para fins técnicos, analíticos e de marketing. Veja mais informações aqui. Se estiver de acordo, continue navegando.

Dúvidas do Viajante

8 dicas para viajar com seu grupo de amigos!

Se viajar já é bom, viajar com um grupo de amigos é melhor ainda – bom, na maioria das vezes, pelo menos!

Afinal, seus amigos podem ser o combustível que faltava para tornar tudo muito legal e cheio de aventuras, como também podem ser uma pedra no caminho.

Pode parecer meio duro demais falar ou pensar isso, mas só quem já viajou em grupo sabe que, apesar de um ser muito legal e adorar aquele outro, as coisas podem fugir do controle.

Não à toa existe uma máxima no mundo dos viajantes em que diz mais ou menos assim: você só conhece uma pessoa quando viaja com ela.

Bom, só de você estar lendo este texto, já dá para saber que estamos na mesma frequência, na mesma vibe ou compartilhando o mesmo sentimento.

E por causa disso montamos uma lista com 8 dicas para viajar com um grupo de amigos e fazer o melhor proveito possível da viagem: sem stress e muita diversão.

1 – Antes da viagem, o grupo precisa conversar – e muito!

Se organizar uma viagem sozinho ou em dupla já leva tempo e muitas ponderações, uma viagem com um grupo de amigos leva ainda mais tempo e exige muito mais ponderações.

Por isso será necessário sentar e conversar, mas conversar muito. Fazer o famoso grupo no Whatsapp pode ser uma boa saída, mas tentem marcar encontros para decidir pontos.

Antes da viagem, é interessante colocar na mesa os estilos de viagem de cada um, além das expectativas individuais. Afinal, existem várias maneiras de se conhecer uma cidade.

Por exemplo: há quem ame muito praia e queira conhecer todas do destino. Tem outras pessoas que até gostam de praia, mas querem mesmo ver pontos turísticos.

Se você deixar para ver isso ao pousar no destino, com certeza irá acontecer alguns conflitos na hora de decidir para onde ir ou o quê fazer naquele dia.

2 – Em viagens em grupo, você tem que saber dividir e respeitar diferenças

Um não é melhor ou pior do que outro por ter gostos ou preferências diferentes. É tudo uma questão de ponderar, abrir mão de uma ou outra coisa ou adaptar outras. Exemplo:

Talvez você não goste tanto de fazer compras assim, mas em um roteiro bem organizado, abrir mão de algumas horas para isso não é de todo ruim. Pode até ser divertido!

Da mesma forma, o pessoal que gosta de conhecer a cidade através de suas festas pode acabar gostando de ir visitar um parque ou um museu durante o dia.

Isto é, respeitando as diferenças e abrindo espaço para todos, sua viagem será bastante diversa e você conhecerá a cidade como um todo!

3 – Vocês não precisam fazer absolutamente tudo juntos

É comum acharmos que, uma vez que estamos viajando em grupo, devemos fazer tudo juntos. Seria até legal, mas não deve ser visto como algo escrito em pedra.

Dependendo do número de pessoas no seu grupo, fica até mais fácil dividir dois ou três grupos menores que desejam fazer algo em específico ao invés de outra coisa.

E não há mal nenhum nisso: dessa forma todo mundo fica feliz e podem contar a experiência para os demais ao se encontrarem depois.

4 – Aceite: não tem como agradar todo mundo

A frase pode ser frustrante para quem quer que todos saiam em todas as fotos da viagem e que o grupo permaneça unido.

Como vimos antes, não é difícil montar um roteiro democrático e diverso, mas nem sempre isso é possível. Se você está com o papel de líder do grupo de viagem, aceite: não tem como agradar todo mundo.

Procure encontrar um meio-termo ou estruturar o roteiro de modo que todo mundo tenha sua vez, mas se não der, não crie uma gastrite por causa disso. Uma solução vem a seguir.

5 – Exponha suas preferências e proponha votos

Indecisões podem ser um dos gatinhos para que o grupo fique irritado e, literalmente, sem sair do lugar durante uma viagem.

A melhor solução é sempre o diálogo. Lembre-se: ninguém vai ficar chateado se você expor sua opinião ou sua preferência. Pelo contrário: às vezes o que mais se quer é ouvi-las!

Por isso, ao chegar a hora de opinar ou escolher algo: levante a mão e diga o que gostaria. Se você for totalmente indiferente, diga também: olha, eu gosto de todas as opções e qualquer uma está boa para mim.

O sistema de votos também funciona bastante bem. Se existem três atividades que podem ser feitas e o grupo tem que decidir, decida no voto. Fica mais fácil e mais justo.

Caso um ou mais componentes do grupo não queiram fazer a atividade mais votada de jeito nenhum, sempre há o item 3 para ser relido, já que o item 4 é uma realidade!

6 – Não se sinta mal se alguém (ou você) precisar se isolar um pouco

Dependendo do número de dias, do número de pessoas no grupo e do espaço compartilhado, é muito normal surgir um momento de querer ficar um pouco só.

É aquele momento de recarregar energias ou simplesmente estar em silêncio. Tal necessidade é especialmente comum em pessoas um pouco mais introspectivas ou tímidas.

Oferecer ajuda ou companhia para uma volta no quarteirão é sempre bom, mas às vezes tudo que a pessoa quer é assistir algo no streaming ou tirar um cochilo mais prolongado.

Não se sinta mal por isso: não é porque você não está agradando ou porque você está sendo desagradável, é simplesmente uma questão de ser.

7 – Deixe as vergonhas de lado

Quando viajamos em grupo tudo fica muito exposto, por isso a máxima de você só conhece alguém quando viaja com ela.

Encare a experiência como uma forma de se abrir para o mundo e conhecer um pouco mais sobre você. Todo mundo tem medos, ansiedades e expectativas. Não esconda isso.

Se você está passando mal, fale. Se está cansado, fale. Se está preocupado com dinheiro, fale. Lembre-se que as pessoas que estão com você são amigas.

8 – Estabeleça limites financeiros

Por fim, mas longe de ser o menos importante: dinheiro é um tema sempre sensível e que pode causar certas discórdias ou indignações no grupo.

Cada um lida com dinheiro de uma forma diferente, não tem jeito. Muitos acham que brigar por causa de 10 centavos é bobagem, outros pensam que dinheiro é dinheiro e pronto.

Para não causar brigas, estabeleça mais ou menos um limite para cada coisa. Por exemplo:

  • Pratos de comida não podem passar dos R$ 30;
  • Café da manhã só no hotel;
  • Hospedagem não pode ser mais do que R$ 150 a diária;
  • Etc.

Com um norte estabelecido, mesmo que superficialmente, dificilmente acontecerá discussões no grupo. E gastos individuais, bem, é por conta de cada um!

 

 

No geral, existe sempre um fator que se repete em todos os itens: a conversa. Lembre-se sempre daquela frase que seus pais ou avós costumam falar: o combinado não sai caro.

Por isso, não se acanhe em pedir reuniões ou conversar com o grupo. Em caso de conflitos, a conversa também é sempre bem-vinda. Assim todo mundo se entende!

Se você gostou do nosso texto já sabe: compartilhe nas suas redes sociais ou com seus amigos! Tendo outras dicas ou comentários, use nosso espaço para escrever.

 

Deixar um comentário