Dúvidas do Viajante

As dúvidas mais comuns de quem quer fazer um mochilão!

E quem nunca sonhou em colocar a mochila nas costas e conquistar o mundo que atire a primeira pedra!

Mesmo que o seu sonho não envolva pegar caronas ou dormir em barracas, é difícil encontrar quem nunca pensou em fazer uma longa viagem pelo mundo.

Seja um mochilão pelo Brasil, por um continente ou por todo mundo, essa experiência é marcante e com certeza agrega muito ao seu conhecimento e para sua visão de vida.

Se essa ideia nunca saiu da sua cabeça, separamos algumas dicas que coletamos a partir de várias dúvidas sobre o assunto!

Depois desse post, não tem mais desculpas para não dar o pontapé inicial para seu mochilão! Vamos lá tirar esse sonho do papel!

Quanto tempo é necessário para fazer um mochilão?

Isso dependerá muito do meio de transporte utilizado e, claro, do seu roteiro. Você precisará decidir uma forma principal de locomoção entre destinos. Eis:

  • Mochilão de avião: demandará menos tempo, porém é mais caro;
  • Mochilão de carro: apresenta custos altos, porém é uma aventura para entrar na história;
  • Mochilão de ônibus: custos mais baixos, porém demanda mais tempo por causa dos horários pré-estabelecidos;
  • Mochilão de carona: custo praticamente zero, mas necessita incomparavelmente de muito mais tempo. Afinal, você precisa que alguém pare e te dê carona! Vale inserir uma exclamação para a questão da segurança também.

O roteiro do mochilão também é um fator decisivo para ter uma previsão de tempo. É preciso saber se:

  • Você pretende visitar todos os continentes?;
  • Pretende visitar apenas os principais países do continente ou todos?;
  • Nos países, você pretende visitar apenas as principais cidades ou as cidades mais baratas?;
  • Você pretende focar o mochilão em um único continente e explorá-lo como um todo?

Quais são as formas de hospedagem disponíveis?

A resposta está ligada diretamente ao estilo de viagem de cada um, além dos próprios limites de cada pessoa, claro! Algumas opções são:

  • Hotel: tradicional de toda viagem, é a opção mais confortável, mas é a mais cara também. Geralmente está longe de ser a escolha de um mochileiro;
  • Aluguel de apartamentos: também distante da escolha mais comum, é uma opção caso o mochileiro queira ficar mais tempo em um único destino;
  • Hostels ou albergues: são opções mais baratas de hospedagem. Geralmente são seguros e promove a reunião de outros viajantes pelo mundo;
  • Couchsurfing: é um site que une pessoas que tem um sofá ou um quarto disponível para hospedar outros viajantes. A ideia é promover a troca de hospedagens, cultura e, claro, conhecer novas pessoas;
  • Camping: sejam em espaços pagos ou na praia, é comum encontrar mochileiros que montam sua própria casa em qualquer local que pareça promissor.

Quanto dinheiro devo levar para um mochilão?

Mais uma vez: depende. É, bem sabemos o quanto essa resposta é chata, mas é que realmente depende de muitos fatores.

Como falamos acima, o meio de transporte a ser utilizado, assim como a hospedagem, o roteiro e suas necessidades como um todo, contam muito na conta final.

No entanto, por questões de segurança, é sempre válido levar um pouco de dinheiro físico e realizar a maior parte das transações financeiras com o cartão de crédito.

Você pode utilizar o cartão de crédito internacional que você usa aqui ou optar por um cartão de crédito pré-pago, que tem como principal vantagem o congelamento do câmbio.

Como economizar em um mochilão?

Para economizar durante um mochilão, você sempre pode escolher pelas opções mais baratas de locomoção e hospedagem, deixando para gastar quando não tiver jeito.

Você pode procurar realizar suas refeições comprando ingredientes no mercado, aproveitando o café da manhã do hostel ou optando por frutas ao longo do dia.

Lembre-se que é importante que você faça refeições saudáveis e consistentes para não ficar doente e garantir a duração da viagem. Então nada de pular refeições!

Procure informar-se com pessoas locais, ou através da internet, sobre lugares que sejam em conta e que ofereçam comidas ricas em proteínas, legumes e verduras.

Como fazer dinheiro durante um mochilão?

É comum também encontrar viajantes que, com a finalidade de prolongar a viagem ou poupar o máximo o dinheiro guardado no banco, vendam coisas ou ofereçam serviços.

Você pode vender artesanato, cordões, anéis, pulseiras, chaveiros etc. Ou você pode ensinar uma dança típica, tocar música, desenhar, pintar telas, cozinhar e por aí vai.

Também é comum ver pessoas que trocam comida e hospedagem em troca de serviços em hostels, como recepção, limpeza, ensinando outro idioma, tocando algum instrumento etc.

A dica principal é tentar explorar seus talentos ou vender coisas pequenas ou leves. Afinal, não é jogo ficar carregando muito peso de um lado para o outro.

Como devo arrumar minha mala para um mochilão?

Apesar do que parece à primeira vista, você não precisa levar malas e malas para seu mochilão, mesmo que ele dure meses ou até mesmo anos. É sério!

E falamos mais: é muito comum ouvirmos relatos de pessoas que vão abandonando roupas pelo caminho ou trocando com outros viajantes.

Ao arrumar a mala, além de praticar o desapego, você terá que pensar que não precisará levar muita coisa, pois você irá lavar suas roupas tal qual faria em casa.

Algumas peças são básicas como tênis, roupas íntimas, meias, uma calça, um short/bermuda, uma ou outra roupa  “mais arrumadinhas” e algumas blusas para o dia a dia.

É importante levar uma pequena farmácia com você, além de capa de chuva e roupas para o frio. Mas tudo depende do destino que você for.

Se lugares frios estiverem no seu roteiro, não se esqueça de levar roupas térmicas, além de bons casacos, jaquetas, meias mais grossas, luvas, cachecóis e gorros.

Para diminuir o volume da sua mochila, compre sacolas à vácuo: elas minimizam o tamanho da sua bagagem, além de proteger da água.

Lembre-se de levar um colchão de camping (aqueles bem fininhos) ou um saco de dormir. Barracas são sempre bem-vindas também!

Quando começar seu mochilão?

Basicamente quando você estiver pronto(a). Nem sempre você irá pegar os climas ou épocas ideais de cada lugar, já que você estará sempre em movimento.

É possível, é claro, otimizar ao máximo, principalmente no início, mas é comum que os planos mudem conforme o tempo vai passando. Estar aberto a isso é essencial.

Aprenda ao menos o basicão de cada idioma

Falar dois, três ou até mais idiomas é uma verdadeira mão na roda para quem ama viajar. Afinal, comunicação é tudo!

No entanto, bem sabemos que nem sempre é possível aprender vários idiomas ou, ainda, aprender um em um curto intervalo de tempo.

Nossa dica nesse quesito é: revise os idiomas estrangeiros que você já sabe e aprenda o básico de outras línguas cujo país você irá visitar.

Não precisa escrever redações em outro idioma, mas saber perguntar o preço das coisas, o caminho para um lugar, além do “obrigado”, “por favor” e “oi, tudo bom?”, é um ótimo passo.

Não esqueça dos seus documentos

Explorar o mundo é ótimo, mas é importante fazê-lo de forma segura e devidamente documentado. Por isso:

  • Verifique o vencimento do seu passaporte;
  • Cheque as condições dos seus documentos pessoais, como carteira de identidade, carteira de motorista etc. Lembre-se que documentos mal conservados são um verdadeiro problema;
  • Leve sua carteira de vacina, lembrando do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela. Se possível, visite um médico para que ele o oriente sobre outras vacinas, como a da Hepatite e Antitetânica;
  • Se você possui a carteira de estudante internacional leve-a com você, pois ela garante vários descontos e é uma forma de identificação a mais;
  • Se você tem alergias a remédios, leve a carteirinha com todas as medicações que podem ser tomadas e aquelas que devem ser evitadas também.

 

Agora é só preparar o roteiro, colocar a mochila nas costas e conhecer mais do mundo! Se você gostou do nosso texto, já sabe: compartilhe com todo mundo e comente!

 

Deixar um comentário