Curiosidades

As companhias aéreas mais inovadoras do mundo – Korean Air e All Nippon Airline

Conheça duas companhias aéreas asiáticas que estão no ranking das companhias mais inovadoras do mundo.

O site Airline Trends divulgou uma lista com as 10 companhias aéreas mais inovadoras do mundo. A pesquisa teve como objetivo selecionar as companhias que surgiram com ideias interessantes que melhoram a experiência dos passageiros antes, durante e depois do voo. Durante toda a semana vamos mostrar quais foram as companhias escolhidas e porque estas lideram o ranking mundial de inovação quando o assunto é transporte aéreo.

Das 10 companhias escolhidas, 4 ficam na Ásia, e entre elas estão a Korean Air e a All Nippon Airline

Korean Air

A Korean Air tem suas principais rotas entre Ásia e a América do Norte.

Seu carro-chefe, a aeronave A380, tem a menor quantidade de assentos que qualquer operadora deste modelo de avião, com 12 lugares na primeira classe, 94 assentos na Business e 301 assentos na econômica.

O número menor de assentos aumenta o espaço entre as poltronas e torna a viagem bem mais confortável. Essa resolução ainda forneceu a aeronave de dois andares um espaço extra que a companhia utilizou montando três bares a bordo em parceria com a marca de vodka Absolut.

A Korean Air  também opera sua própria fazenda orgânica e oferece outros diferenciais como um serviço de armazenamento de casaco e um salão só para mulheres no aeroporto de Seul Incheon, que já foi eleito o melhor aeroporto do mundo.

All Nippon Airline

A All Nippon Airline foi a primeira companhia a começar a voar com o avião B787 Dreamliner em setembro de 2011, que é o primeiro avião de grande porte a ter metade de sua estrutura feita de compostos leves ao invés de alumínio. É o único avião de porte médio capaz de voar por rotas de longa distância.

A empresa lançou em março de 2012 uma companhia aérea subsidiada de baixo custo, a Peach, que é um anagrama para a palavra “cheap” que significa “barato” em inglês para concorrer com outras empresas que seguem a mesma linha na Ásia.

Comentário