Inspiração

10 habilidades de um viajante nato!

10-habilidades-de-um-viajante-nato

As melhores habilidades que um viajante pode ter estão diretamente ligados ao ato de viajar em si. Sim, pois conforme você vai viajando e tomando aquilo como um grande prazer, suas viagens vão deixar de serem apenas turísticas para serem… uma necessidade, uma parte de você.

Você pode adquirir essas habilidades previamente ou por outros motivos, é claro, mas a maioria virá com a transformação que uma viagem pode causar na gente. Estar em uma diferente cultura, apreciar algo novo (ou sentir falta de algo da nossa casa) e conhecer pessoas diferentes traz um grande aprendizado, não é?

1 – Falar mais de uma língua

amigos-posando-para-foto

Aprender um novo idioma ou, pelo menos, algumas palavras essenciais do idioma do país a ser visitado é uma mão na roda. Primeiro, pois comunicação é tudo e nada é melhor do que trocar ideias com os locais ou saber pedir informações.

Quem fala inglês se dá bem na maior parte dos lugares, pois mundialmente falando, a língua que todo mundo tende a aprender primeiro é o inglês. Mas não é só de inglês que vivem os viajantes. Como falamos, aprender palavras no idioma local é um ato simpático, muito educado e bem visto pelos locais.

Alguns viajantes se matriculam em um curso para absorver o máximo do idioma antes da viagem, outros fazem isso durante a viagem. Mas se não for seu caso, alguns apps como o Duolingo podem te ajudar bastante nisso.

2 – Dirigir com diferentes câmbios

como-alugar-um-carro

Aqui no Brasil a maior parte dos carros funciona com o câmbio manual, mas não é uma realidade de todos os países. Nos Estados Unidos, por exemplo, a maior parte dos carros são automáticos. Em alguns países da Europa, a gente leva vantagem: quem sabe dirigir um carro manual pode alugar carros mais baratos.

Muito provavelmente existem tutoriais no Youtube que ensinem a dirigir um carro automático, mas ter essa experiência antes de pegar a estrada é muito melhor. Se um amigo tiver um carro automático, peça para ele te dar umas aulas!

Um pouco menos econômico, mas útil, seria alugar um carro automático por um final de semana para ir treinar. O pessoal da locadora pode dar as primeiras dicas para que você possa ir pegando o jeito sozinho.

3 – Saber trocar o pneu

Change tire

Se você gosta de alugar carro durante sua viagem, saber trocar pneu pode ser uma habilidade muito muito útil. Dessa forma você não precisará esperar chegar o reboque, menos ainda precisará andar devagar até encontrar um posto de gasolina.

Trocar pneu é chato, mas perder algumas horas com uma dessas tarefas é ainda pior. Embora seja uma história a ser contada, é preferível que ela seja breve do que cheia de peripécias, né?

4 – Saber lidar com mapas

amigos-viajante-olhando-mapa

Embora o GPS seja uma mão na roda, são os mapas de papel que enchem os aeroportos e pontos de informações turísticas pelo mundo, por serem práticos e acessíveis a qualquer viajante.

Mas enquanto o GPS praticamente nos pega pela mão para levar até algum lugar, os mapas tradicionais exigem um pouco de interpretação e senso de direção para que possamos chegar em nosso destino.

Para não ficar parado na calçada, com aquela cara de quem está totalmente perdido enquanto tenta se entender com o mapa, uma dica é estudar as ruas com alguma antecedência ao dia da sua viagem. Assim você estará bem mais familiarizado com o entorno.

5 – Saber pechinchar

compras

Pechinchar é bastante útil, principalmente para os viajantes que estão com a verba contada e querem aproveitar ao máximo com o dinheiro que dispõem. Não precisa ficar com vergonha, pois é mais do que comum negociar com vendedores de lembrancinhas ou feirantes.

Aos viajantes mais aventureiros, também é comum negociar no balcão do hotel, caso você tenha resolvido deixar para reservar a hospedagem apenas quando chegasse ao destino. Embora não seja uma regra, pode ser que ele tope reduzir a tarifa por aquela noite, ao invés de deixar o quarto vazio.

Converse, seja simpático e nunca menospreze o trabalho da pessoa em seu discurso. Negociar o preço é diferente de diminuir o valor!

6 – Ser bom de papo

Tourists travelers consulting gps and guide in a train station

Você pode até não gostar de pedir informação, mas nada é melhor do que receber dicas e coordenadas de quem mora no local que você está visitando. Seja para encontrar uma rua ou para saber onde tem um restaurante bom e barato, se aproximar das pessoas é ótimo.

Procure puxar papo com as pessoas que trabalham no hotel ou tire dúvidas quanto suas curiosidades com taxistas, garçons ou pessoas que já demonstrem uma pré-disposição para um papo.

As melhores informações sobre a cidade, costume e perspectivas sairão dessas pessoas!

7 – Saber calcular conversões

Você não precisa ser um gênio da matemática, mas saber fazer uma conta para estimar o valor real da conversão é bom para quem tem dinheiro como preocupação. Mas não é só por isso, saber calcular por alto o valor da conversão evita algumas voltas que podem te dar, principalmente em países que aceitam comumente mais de uma moeda como pagamento, como é o caso da Argentina.

Além disso, vai te ajudar a saber se algo está muito caro ou barato, comparando com os custos no seu país/cidade de origem. É uma boa forma de manter em mente sua verba e, principalmente, saber se está dentro dela ou além dela.

8 – Ser objetivo

Guy near airline schedule

Para arrumar malas e escolher hotel. O viajante que é objetivo ou se torna mais objetivo consegue mais acertos na hora de arrumar as malas do que aqueles que não são. Ao invés de carregar muito peso levando o armário inteiro, o viajante objetivo ou prático levará praticamente os looks já prontos.

Escolher hotel também se torna mais fácil. Com as necessidades em mente (wifi, café da manhã, ar condicionado, por exemplo) e já tendo pensado nos bairros onde deseja ficar, escolher um hotel fica bem mais rápido.

9 – Saber encarar tudo como experiência

05-blog-ofertas

Durante uma viagem, muitas coisas podem acontecer. Pneu furado, um passeio que não foi lá muito legal, um jantar caro que não valeu e até levar aquela volta. Você pode até ficar chateado, mas lembre-se: essas coisas poderiam acontecer se você estivesse na sua casa também.

Ninguém quer que aconteça algo de errado durante uma viagem, claro, mas é essencial levar as coisas na esportiva para não estragar todo passeio. Apenas faça o que tem que ser feito e deixe o acontecido lá nos fundos dos seus pensamentos.

Não deixe de procurar seus direitos ou de registar qualquer tipo de incidente às autoridades. Se tinha algo de errado com sua comida, reclame. Se o hotel não oferecia tudo que prometia, fale com a gerência. Mas depois de relatado, procure relaxar e continuar sua viagem. Algumas coisas vêm para servir de experiência!

10 – Aceitar diferenças

mercado flutuante de frutas na tailandia

Se existem diferenças entre as pessoas que estão ao nosso redor, o que dirá de pessoas de outros países, que viveram outras histórias e possuem outras culturas? Saber lidar com diferenças é a principal virtude de uma pessoa que nasceu para viajar.

Aceitar as diferenças vai te fazer ir além: você vai descobrir novas perspectivas, novas pessoas, muitos outros costumes e enriquecer seu conhecimento cultural. Poderá ser um contador de histórias e ser alguém bem mais interessante do que antes.

 

 

Deixar um comentário

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkdin
Share On Pinterest