Destinos

Passeios em Santiago, no Chile!

centro-de-santiago-chile

Não é apenas a proximidade com o Brasil ou o câmbio favorável que levam tantos brasileiros ao Chile. O país de extremos, como também é conhecido, abriga várias atrações para os mais variados gostos: seja o mar, a neve ou a calma de um bom vinho, Santiago, o principal destino chileno, oferece aos visitantes uma gama de tours que deixarão a viagem ainda mais divertida e completa. Conheça aqui alguns dos passeios no Chile!

Procure pelo walking tour gratuito

O walking tour é algo bem comum de ser encontrado em vários lugares. Em um passeio feito a pé, o guia apresenta os principais pontos da cidade, contando sua história e tirando dúvidas. O grande atrativo é o fato de serem gratuitos e com opções de guias que falam não apenas a língua local, como outras também. Geralmente tudo que se pede é uma doação/gorjeta. Eles têm um valor sugerido, mas a quantia é sua escolha.

Várias opções de empresas que prestam o serviço podem ser encontradas na internet, mas se você por acaso estiver em um lugar bastante turístico pela manhã (geralmente umas 10h) e ver alguém com uma camisa chamativa (vermelha ou verde são as mais comuns) com um grupo ao redor, pode ter quase a certeza: um walking tour está prestes a começar.

Cerro San Cristóbal e Cerro Santa Lucía

Santiago tem pontos para serem vistos e apreciados do alto. Muito provavelmente estes dois cerros, o San Cristóbal e o Santa Lucía, serão apontados como passeios para se fazer no Chile. E valem muito a pena!

O Cerro San Cristóbal tem 880 metros de altitude e muita gente sobe de bicicleta ou a pé. O caminho é bastante agradável, arborizado e tem área para churrasco e até um zoológico. Se você acha que não vai aguentar essa aventura, tem a opção de subir de funicular ou até de táxi. O parque possui um site próprio com várias informações.

Cerro de Santa Lucia, no Chile

O Cerro Santa Lucía está bem perto do centro da cidade e, ao se aproximar do parque, você poderá sentir uma mudança enorme de clima e até a ausência do barulho típico do agito de Santiago. O parque é bastante calmo, tranquilo e tem áreas de descanso. Áreas muito necessárias, aliás! Embora seja menor (629 metros) que o cerro anterior, o parque conta com escadarias que levam ao mirante com vista para a Cordilheira dos Andes. Uma dica aqui é levar dinheiro trocado ou suas próprias garrafas de água: as escadarias cansam, você sentirá muita sede e os poucos quiosques disponíveis contam com pouquíssimo troco.

A Casa de Pablo Neruda

Outro passeio no Chile é visitar pelo menos uma das casas do poeta Pablo Neruda. São três no total, sendo uma em Santiago, outra em Valparaíso e a última em Isla Negra. A de Santiago fica próximo ao Cerro San Cristóbal, então você pode unir as duas atividades em um mesmo dia tranquilamente. A entrada é paga e as casas são charmosas e curiosas do ponto de vista arquitetônico. Vale a ida!

Vinhedo no Chile

Vinícolas chilenas

O forte do Chile é a produção de vinhos, sendo praticamente um ponto turístico do país. A ida a uma vinícola é fundamental para o visitante apaixonado pela bebida ou curioso a respeito da produção. As mais populares são Concha y Toro, Undurraga, Santa Rita e Cousiño Macul. É comum que as agências locais promovam passeios casados, como ir a um vinhedo de bicicleta ou unir a visita a casa de Neruda com alguma vinícola etc. Os preços vão variar conforme a duração do passeio (alguns chegam a quatro horas) e os benefícios de cada um (como mais degustações).

É bem possível ir a um vinhedo sem o auxílio de uma agência, através da combinação de ônibus+metrô ou de táxi. A ida até Concha y Toro, por exemplo, leva entre 40 minutos e 1h20 saindo da região central de Santiago. A maior parte leva, em média, 1h40/2h.

Valle Nevado, no Chile

Valle Nevado

É um daqueles passeios obrigatórios para quem visita o Chile, seja pelo visual ou pela experiência. A três mil metros de altura, o cartão postal chileno é uma das referências quando o assunto é ski, mas mesmo que você não saiba, não goste ou não tenha neve na época, ainda vale muito a pena ir. A subida até o Valle Nevado pode ser feita com seu próprio carro, mas se você não está acostumado com uma estrada cheia de curvas (e, dependendo da estação, coberta de neve) ou se vai se acha que vai se sentir um pouco inseguro pelo caminho, o ideal seria contratar uma agência especializada – não faltam opções! Muita gente sobe de bicicleta, mas isso exige um certo nível de preparo físico.

Mesmo que você vá em uma época sem neve, é possível ver seus resquícios em montanhas vizinhas. A vista de lá de cima é incrível e é muito legal abrir uma garrafa de água com gás e o líquido ir por todos os lados (culpa da pressão!), o mesmo acontece com pacotes de biscoito que tenham ar dentro (tipo de batata frita). E é bem provável que, ao descer, você não consiga mais abrir a garrafa de água que te acompanhou durante a viagem.

Para que seu corpo se acostume com a pressão do local, é comum que o tour faça umas duas ou três paradas em pontos estratégicos para que os visitantes sejam acostumados aos poucos. É importante estar equipado com água, um casaco, algo para comer e abusar do protetor solar! O Valle Nevado tem uma ótima estrutura, mas se você não for na alta temporada de ski ou se simplesmente quiser economizar dinheiro, passar no mercado antes é uma boa ideia.

Valparaíso e Viña del Mar

Um passeio pela Chile fora de Santiago que leva mais ou menos um dia inteiro do seu roteiro. Por serem duas cidades pequenas, é mais do que comum compartilhar a visita. Elas são vizinhas e ficam a mais ou menos 90 minutos da capital chilena.

O acesso pode ser feito:

  • De ônibus através de empresas Turbus ou Pullman, saindo do terminal rodoviário Alameda;
  • Através de pacotes turísticos das agências locais que unem as duas cidades;
  • Carro alugado.

É importante dizer que domingo (e fins de semana, no geral) é o dia que todo mundo resolve fazer esse passeio, incluindo os próprios chilenos. Portanto, existe uma enorme chance de não ter vaga em ônibus em horários ideais ou de só ter a ida e não a volta. Para evitar isso, compre antecipadamente seu bilhete ou procure ir em dias alternativos, como uma quarta.

De qualquer forma, existem guias turísticos que ficam oferecendo o passeio pelo terminal e com várias opções de saídas. Negociando bem, pode-se chegar a um preço justo para ir curtir o passeio com mais garantia e conforto.

Valparaiso, Chile

Valparaíso é uma cidade portuária e foi declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Isso se deve muito ao fato de ter sido curiosamente (e espontaneamente) construída sobre 41 morros. Para dar um help para subir isso tudo, há elevadores pela cidade! Um ponto interessante é que existe um grupo de voluntários que ajudam a pintar o local, pois a maior parte das paredes tem pichações e um aspecto descuidado. O objetivo dos voluntários, que são facilmente identificáveis por se vestirem todos de branco, é deixar Valparaíso com um aspecto mais limpo e simpático.

Se você escolheu ir de forma independente para essas duas cidades, o meio de fazer a conexão entre as duas é através do MERVAL (ou Metropolitano Valparaíso), que é uma linha de trem que tem estações nos dois pontos.

Vina del Mar, no Chile

Viña del Mar, por outro lado, abriga algumas praias que são referência no Chile. Por esse motivo, e aliado a uma presença expressiva do setor hoteleiro e gastronômico, a cidade costuma lotar aos fins de semana e nos períodos de férias. Dentre as principais atrações estão o Relógio de Flores, o Castello Wullf, o Casino de Viña del Mar (o mais antigo do Chile!), o Parque Vergara, o Museo Fonck (que conta com um moai vindo diretamente da Ilha de Páscoa) e, claro, as praias.

Cajon del Maipo, no Chile

Cajón del Maipo

É um daqueles lugares que você olha e não acredita no que vê, é bonito demais. Além de admirar por muito tempo a paisagem, por lá você pode realizar uma longa trilha (pelo El Morado, que leva umas quatro horas) ou curtir o Baños Colina, que são as piscinas termais. Para os dois passeios, lembre-se de levar chapéu, protetor solar, camisa, água etc, pois não existe lugar com sombra, então todo cuidado é necessário para não acabar muito queimado ou passando mal. Geralmente os tours organizados possuem bons horários para que os turistas possam curtir bem, com passeios de mais ou menos cinco horas de duração.

 

Qual outro passeio em Santiago você acha que deveria estar aqui? Deixe nos comentários!

Veja também: Chile, um país de extremos incríveis!

 

 

Comentário

Deixar um comentário

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkdin
Share On Pinterest