Curiosidades

O Templo Kukulcán e sua complexidade

templo-kukulcan

No México, mais ou menos a 80km da costa caribenha, temos Chichén Itzá, cujo nome significa “pessoas que vivem na beira da água”. Chichén Itzá é uma cidade arqueológica maia que fica no estado de Yucatã, que funcionou como centro político e econômico da civilização. Por lá temos o Templo Kukulcán (que significa Serpente Emplumada, na língua maia), a principal estrutura de Chichén Itzá, que foi escolhida como uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e que é nosso tema de hoje!

O Templo Kukulcán

Se de longe parece mais uma pirâmide no meio do campo, olhando de perto podemos perceber a complexidade de sua construção e o brilhantismo que o povo maia apresentava. O Templo Kukulcán, que também pode ser chamado de Pirâmide de Kukulcán, foi construído no século XII d.C. Sua estrutura conta com nove patamares, quatro fachadas (cada uma com uma escadaria central) e, finalmente, um templo no patamar superior.

A construção do Templo Kukulcán foi detalhadamente pensada e estruturada, fazendo simbolismos àquilo que acreditavam. Por exemplo, são quatro escadarias que levam a um templo. Cada escadaria possui 91 degraus, logo 91 x 4 = 364 + 01 degrau que levava ao topo e que é comum a todas as escadarias = 365. Isto é, um degrau para cada dia do Haab, o calendário agrícola.

Mas o Haab não era o único calendário usado pelos maias. Existia o sagrado, chamado Tzolkin, onde constava que 13 meses com 20 dias cada, totalizando, então 260 dias. Estes dois calendários sofreram uma fusão que resultou na chamada Roda Calendária. De jeito, a combinação de ambos se repente a cada 18.980 (múltiplos comuns de 260 e 365), isto é, a cada 52 anos do calendário Haab, a repetição da Roda Calendária começa outra vez. Complicado, né? Pode-se dizer, então, que o Templo Kukulcán percebe a conta do tempo.

O conhecimento e a habilidade dos maias vai ainda mais além. Descobriu-se muito por acaso, já no século XX, que existe um efeito acústico bem interessante no Templo Kukulcán. Se uma pessoa aplaude quando se está de frente a uma das escadarias, o som causa um eco distorcido, produzindo um som muito parecido ao canto de um Quetzal – que é um pássaro encontrado nas zonas tropicais da América Central. A explicação é basicamente por causa das ondas de reflexão do som.

Outra coisa interessante é que durante um ano, se observarmos o amanhecer no horizonte do mesmo ponto, vamos ver o sol aparecendo em diversas posições ao longo do período. Uma prova que os maias possuíam conhecimento de astronomia, pois isso ocorre devido aos movimentos da Terra, de rotação sobre o eixo e translação ao redor do sol.

O mais impressionante fica para o final: ao entardecer dos equinócios da Primavera e do Outono, é possível observar da escadaria nordeste uma projeção solar serpentina, “consistente em sete triângulos isósceles de luz invertidos, como resultado da sombra que projetam as nove plataformas do edifício durante o pôr-do-sol […] Com o passar do tempo, parece descer do templo uma serpente e o último reduto de luz projeta-se na cabeça da serpente emplumada que se encontra na base da escadaria.” Para ver esse fenômeno, o ideal é estar por perto em Março e em Setembro, principalmente nas datas mais próximas aos equinócios.

Como chegar?

Para chegar lá você não terá muita dificuldade, visto que existem pacotes turísticos à vontade que serão oferecidos com fervor desde o momento que você colocar seu pé no aeroporto. Esses tours podem combinar outros passeios que levam um dia inteiro, então você tem que colocar na balança e escolher a melhor opção de ir conhecer o Templo Kukulcán.

Outra opção é alugar um carro, onde é importante lembrar dos custos com gasolina, pedágio, estacionamento e o tempo para se chegar até lá. Da Playa del Carmen, por exemplo, são três horas para ir e três para voltar. Por outro lado, é uma opção perfeita para quem quer liberdade e a possibilidade de poder conhecer outros lugares pelo caminho.

Se nenhuma das duas agrada, tem a possibilidade ainda de ônibus. Os “carros de segunda classe” saem da rodoviária de meia em meia hora, não possuem banheiro e vão parando pelo caminho para pegar outros passageiros. Tirando isso, é um ônibus de viagem comum iguais aos que temos por aqui. Você pode ver preços e horários por aqui, no site da empresa que presta o serviço. No entanto, ouvimos falar que os bilhetes oferecidos online são apenas para a primeira classe!

Participe do aniversário do Mundi!

 

Deixar um comentário

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkdin
Share On Pinterest